1 de novembro de 2018

Tonicha canta José Cid: 50 anos























OUSADIAS
Faz hoje 50 anos que foi publicado o primeiro disco de Tonicha com canções de José Cid. Para uma cantora que, apesar de muito jovem, tinha já o seu público - e não era este - foi de facto uma ousadia gravar com músicos de rock - do Quarteto 1111 - e temas em francês e/ou baseados no Cancioneiro de Garcia de Resende. "Esperei, já não espero"!
João Carlos Callixto, Facebook, 31-10-2018

20 de outubro de 2018

Tonicha e José Maria Nóbrega

A nossa homenagem a José Maria Nóbrega (1926-2018):
espectáculo de Tonicha no Casino da Figueira da Foz, 1973,
"Folclore à viola e à guitarra", com Raúl Nery, António Chainho, Júlio Gomes e José Maria Nóbrega (foto Apollo).

20 de setembro de 2018

Festival RTP da Canção: E as outras?

 





















"Fui ter com a madrugada", Tonicha
(Rui Malhoa/Pedro Jordão)
O Festival de 1968 teve seis das dez canções escritas por Pedro Jordão. então com 31 anos, era um verdadeiro caso sério na nossa música, ao tentar renovar por dentro a canção ligeira. Tonicha foi uma das vozes que o recebeu e que, por escassos 2 pontos, não o levaria à vitória no certame. Mais de 40 anos depois, esta música teve uma nova versão pelo projecto Movimento, de Gomo, Marta Ren, Miguel Ângelo e Selma Uamusse."
 in dvd "Festival RTP da Canção, 1964-1988, E as outras?", p. 12

16 de agosto de 2018

Tonicha: fotobiografia no "Você na TV"

A cantora Tonicha esteve em destaque na TVI, no programa "Você na TV" apresentado por Manuel Luís Goucha e Cristina Ferreira, no passado dia 15 de Agosto de 2018.

Veja, carregando no link abaixo, a entrevista que Manuel Luís Goucha fez a Maria de Lourdes de Carvalho, a propósito da apresentação da fotobiografia de Tonicha («A eterna "menina"», The Book Hut Editores, 2017), da qual Maria de Lourdes é a autora:

28 de julho de 2018

Tonicha e Paulo de Carvalho






















Tonicha e Paulo de Carvalho, os grandes rivais no Festival RTP da Canção 1971, estiveram juntos nesse mesmo ano num festival em Torremolinos, Espanha.
A Flama de Novembro de 1971 dá conta dessa participação, escolhendo para capa uma foto dos dois cantores.
Tonicha gravará pela primeira vez uma canção da autoria musical de Paulo de Carvalho em 2008: "Fui quem sou" (letra de José Fanha) para o cd "Cantos da Vida", da editora Farol.

24 de junho de 2018

Tonicha - A Festa das Canções II
















"1971. Mais uma "Menina" oriunda do Centro de preparação de Artistas da Rádio, Tonicha (n. 1946) tinha-se estreado ainda adolescente, gravando pela primeira vez para a colectânea Christmas in Portugal, de 1964. A estreia a solo chega no ano seguinte, pela editora Telectra, com o EP Luar para Esta Noite, dirigido por Jorge Costa Pinto. Em 1966 e 1967, vence o Festival da Canção Portuguesa da Figueira da Foz, com Boca de Amora e A Tua Canção Avozinha, mas o seu reportório está em constante mutação. Grava  então canções de Pedro Jordão (chegando a ficar em 2.º lugar no Festival de 1968) e de José Cid, neste caso ao longo de três discos, entre 1968 e 1970, mostrando que a inovação podia coexistir com a apropriação de canções tradicionais, que Tonicha também popularizou. De Dublin, onde se realizou a Eurovisão em 1971, a cantora traz um 9.º lugar, a primeira de dez vezes que Portugal entra no top 10 - neste ano em que a inspiração de Nuno Nazareth Fernandes se virou para os lados mais folk, sempre magistralmente servido pelas palavras de Ary dos Santos."
in dvd Festival RTP da Canção, 1964-1988, A Festa das Canções, pp. 20-21

21 de maio de 2018

6 de maio de 2018

Tonicha na capa da Revista "Domingo" do "Correio da Manhã"

O Correio da Manhã do dia da mãe, 06-05-2018, apresenta, na revista "Domingo", um artigo intitulado "Onde Estão os Vencedores do Festival", da autoria dos jornalistas Vanessa Fidalgo e Miguel Balança. Na capa, aparece a nossa Tonicha em Dublin com o quadro de votação dos jornalistas europeus, antes da final do Festival da Eurovisão 1971.


2 de maio de 2018

8 de abril de 2018

Festas de Setúbal: 03-09-1967

Como Tonicha ganhou o famoso Festival da Figueira da Foz em 1966 ("Boca de Amora", de José Gouveia) e 1967 ("A tua canção avozinha", de Rocha Oliveira), passou a ser convidada para inúmeros espetáculos por todo o país.
Estas fotos dizem respeito à atuação de Tonicha nas Festas de Setúbal. A cantora foi uma das convidadas da Eleição da Rainha do Sado.
Pode-se ver um breve vídeo do espetáculo, mas sem som, na RTP Arquivos.





8 de março de 2018

Parabéns, Tonicha

Por mais um aniversário. E haja festa portuguesa!


10 de fevereiro de 2018

Relembrar "Ela Por Ela"

TV GUIA n.º 101, de 10 a 16 de Janeiro de 1981

1 de janeiro de 2018

Um ano mais feliz!













Sabe que pode ouvir estes discos de Tonicha gratuitamente no Spotify Web Player?
Votos de um bom ano e de boas audições musicais!

17 de dezembro de 2017

Boas Festas!


27 de novembro de 2017

Pedro Rolo Duarte e Tonicha



 João Carlos Callixto: A Tonicha foi, se calhar, a fronteira maior entre o que vinha de trás, a escrita da Emissora Nacional, do Nóbrega e Sousa, Jerónimo Bragança, e uma nova leva de compositores portugueses e estrangeiros. A Tonicha já faz versões do Patxi Andion.
Pedro Rolo Duarte: A primeira paixão da minha vida foi a Tonicha. Lembro-me um dia, com seis ou cinco anos, portanto em 69, 70, estar na cama com febre e com gripe e a Tonicha foi lá a casa, fazer não sei o quê. Tenho uma visão da Tonicha a entrar no meu quarto.
João Gobern: Devia ser com a farpela que ela usou no videoclip da "Menina do Alto da Serra". Linda! Toda de branco. Linda!
Pedro Rolo Duarte: Não sei. Só me lembro daquela figura a entrar, a sorrir, aquela falhazinha nos dentes. Oh meu Deus! Descobri o que é o amor.
in Hotel Babilónia - Antena Um, 11 de outubro de 2014

23 de outubro de 2017

Tonicha no Museu do Ar em Sintra


Na exposição permanente de fotografias de figuras nacionais e internacionais do Museu do Ar, em Sintra, aparece esta foto da Tonicha, que retrata a sua chegada a Lisboa, depois da sua atuação em Dublin (1971).
A foto foi tirada no aeroporto de Lisboa e mostra Tonicha sorridente, com um ramo de flores nos braços e a mascote/símbolo da editora Zip-Zip, etiqueta onde na altura editava.

24 de setembro de 2017

Tonicha 78


















Música & Som n.º 22, de 1 de janeiro de 1978

21 de agosto de 2017

Cantigas duma terra à beira mar

40 anos depois da sua 1.ª edição (houve duas capas), o LP "Cantigas duma terra à beira mar" (Polygram, 1977) está disponível nas plataformas digitais, tais como itunes, spotify...

















Eis a capa da segunda edição, com o título da canção mais popular do LP em destaque: "Tu és o Zé que fumas". 

27 de julho de 2017

Um cromo da Tonicha

                                       
(Coleção de cromos dos anos 70. Foto de 1965.)

29 de junho de 2017

TONICHA na ORFEU

“Discos Orfeu — Imagens, Palavras, Sons (1956-1983)”, na Casa do Design de Matosinhos, de 04.05.17 a 02.09.17

13 de junho de 2017

Baptista-Bastos (1933-2017)

"A Piaf afirmava que a arte de cantar (ela dizia, de uma forma mais rigorosa: "cançonetar") tinha como matriz "um pungente apelo interior". Tonicha pertence a essa estirpe de gente que canta aqueles que nos cantaram, servindo-se de uma voz pessoalíssima e absolutamente intransmissível. Digo: inimitável. Ela possui o tal registo interior que confere aos poemas escolhidos a dimensão do tempo, a marca de uma época e o timbre de uma personalidade. Personalidade, isso mesmo. Até porque Tonicha sabe, como poucos cantores portugueses, que cantar é amar o outro; os outros. E dizer-lhes que, apesar de tudo, ainda vale a pena acreditar. Porque não há conquista sem luta nem luta sem sofrimento.
Convido-os a escutar este disco, afinal a veemência de uma declaração de amor ao outro, aos outros - a nós."
Baptista-Bastos, in cd "Mulher", Polygram, 1997



31 de maio de 2017

PASSATEMPO - FOTOBIOGRAFIA

Temos um exemplar da fotobiografia "Tonicha,  a Eterna Menina" para oferecer aos nossos leitores.
Para isso, apenas terá de ser o primeiro a responder:
QUAL FOI A PRIMEIRA GRAVAÇÃO DE TONICHA PARA A POLYDOR / POLYGRAM?

29 de maio de 2017

Autores cantados por TONICHA

Autores cantados por Tonicha, depois de "Menina" (1971):

A. Silva // António Botto // António Feliciano de Castilho // António Gedeão // António Ferreira Guedes // António Pinho // Ary dos Santos // Augusto Algueiró // Braga Santos // Carlos Alberto Vidal // Carlos Mendes // Carlos Santos // Ermelinda Duarte // Fernando Calvário // Fernando Guerra // Fernando Tordo // Frederico de Brito // Frederico de Freitas // Gonçalves Crespo // Gonçalves Preto // João Henrique // João Maria Viegas // Joaquim Pessoa // Jorge Palma // José Afonso // José Almada // José Calvário // José Cid // José Fanha // José Gomes Ferreira // José Henrique // José Marinho // José Niza // José Sottomayor // Luís Pedro Fonseca // Mário Castrim // Matos Sequeira // Nuno Nazareth Fernandes // Nuno Gomes dos Santos // Nuno Rodrigues // Olivier Toussaint // Paul de Senneville // Paulo de Carvalho // Patxi Andion // Pedro Barroso // Pedro Osório // Pedro Só // Pereira Coelho // Rão Kyao // Raul de Carvalho // Raul Ferrão // Shegundo Galarza // Tiago Torres da Silva // Tomaz R. Colaço // Tozé Brito // Vasco Ribeiro Casais // e todos os poetas e músicos populares anónimos.

Prémio Pró-Autor para TONICHA

                  (Foto: SPAUTORES)

17 de maio de 2017

TONICHA RECEBE PRÉMIO PRÓ-AUTOR

     A Direcção e o conselho de Administração da SPA decidiu atribuir o Prémio Pró-Autor à TONICHA, como forma de reconhecimento pelo seu contributo para a promoção dos valores culturais e da cidadania em Portugal. 
     A Cerimónia Comemorativa do Dia do Autor terá lugar no dia 22 de Maio, pelas 16 horas, na Sala-Galeria Carlos Paredes.

12 de maio de 2017

"A Eterna Menina" no "Diário do Alentejo"

"Um pedaço da vida gloriosa da canção portuguesa"

"Diário do Alentejo", 05-05-2017

22 de março de 2017

Tonicha: a Eterna Menina






















Pedro Rolo Duarte, "Hotel Babilónia" - Antena Um, 25 de março de 2017:
"Esta semana fui surpreendido por uma [biografia], que não é uma biografia. Na verdade, é uma fotobiografia, mas que não resisti. Sabes de quem ?[para o João Gobern] Da Tonicha. A Tonicha tem uma fotobiografia. Em formato A4, chamada "A Eterna Menina". Com fotografias fabulosas. Daquelas do Festival da Canção. Com as letras. Com as fotografias dos abraços do Ary dos Santos. Do Nuno Nazareth Fernandes..."

9 de março de 2017

Parabéns, Tonicha


24 de fevereiro de 2017

Fotobiografia de Tonicha à venda

WOOK:










FNAC:

LIVRARIA ALMEDINA:

16 de janeiro de 2017

Tonicha: a Fotobiografia






















A fotobiografia está à venda no site da editora: https://www.thebookhut.pt/search?q=tonicha

2 de janeiro de 2017

"Vira dos Malmequeres": na BSO do filme "A mãe é que sabe"!


O primeiro tema de música tradicional portuguesa gravado por Tonicha, "Vira dos Malmequeres", em 1969, faz parte da banda sonora do mais recente filme português: "A mãe é que sabe". O filme é realizado por Nuno Rocha, tendo como protagonista Maria João Abreu. A personagem principal, interpretada por Maria João Abreu, recorda-se, ao longo do filme, da sua infância e da sua juventude. É num desses regressos ao passado que a personagem aprende a dançar com a governanta da casa, ao som da telefonia. É aí que se ouve o tema tradicional do Ribatejo, recolhido por João Maria Viegas no Cancioneiro de Alves Redol. Tonicha é acompanhada pelo conjunto de guitarras de Jorge Fontes, que também é o autor dos arranjos. A canção foi editada no EP "Modas do Ribatejo", pela editora RCA. Em 1985, foi incluído no duplo LP "A Arte e a Música de Tonicha".


17 de dezembro de 2016

Boas Festas!

Rádio e Televisão, N.º 558, 22 Julho de 1967