1 de novembro de 2016

TONICHA: Uma grande novidade em breve!

             (FOTO: Augusto Cabrita - 1971)

15 de julho de 2016

Tonicha: "Grandes Êxitos"


ALINHAMENTO CD:
01 Zumba Na Caneca
02 Sericotalho, Bacalhau, Azeite E Alho
03 Tu És O Zé Que Fumas
04 Vai De Ruz Truz Truz
05 Bailarico Saloio (inédito em cd)
06 Marcha Da Mouraria
07 Maria Rita (Cara Bonita)
08 O Chico Pinguinhas
09 Todos Me Querem
10 Marcha Dos Marinheiros
11 Não Vás Ao Mar Tónho
12 O Gaiteiro Português
13 O Mar Enrola Na Areia
14 Maria Faia (Moda Da Azeitona)

ALINHAMENTO DIGITAL:
1. Zumba Na Caneca
2. Sericotalho, Bacalhau, Azeite E Alho
3. Tu És O Zé Que Fumas
4. Vai De Ruz Truz Truz
5. Bailarico Saloio (inédito em digital)
6. Marcha Da Mouraria
7. Maria Rita (Cara Bonita)
8. Quem Te Quer Bem, Meu Bem (inédito em digital)
9. Todos Me Querem
10. Marcha Dos Marinheiros
11. Canção da Amizade (inédito em digital)
12. O Gaiteiro Português
13. O Mar Enrola Na Areia
14. Maria Faia (Moda Da Azeitona)

Universal Music, julho de 2016

1 de julho de 2016

Canção do Futebol


(Single "Pinga Amor/Canção do Futebol", Polygram, 1984)
(Fotografia: Jorge Jacinto)

 Canção do Futebol
(Autores: Tomaz R. Colaço / Frederico de Freitas) 
(Arranjos: Shegundo Galarza) 
(Produção: António Pinho) 

Cada estrela d’oiro
Diz a quem a escute
Foi um anjo loiro
Que me deu um chute

É jogar com calma
Sem perder a fé
Teima e leva a palma
Jogador com alma
Rebentava o mundo
Se lhe desse um pontapé

Saia quem tem pança
Viva o sol em brasa
Quem tem massa vai a França
Quem não tem ficou em casa

A Maria Rita
Hoje ressuscita
Hei de a ver no desafio
Com um grãozinho na asa

Se a Seleção trabalha
Como eu quero
Agora é que não falha:
Nove a zero!

22 de maio de 2016

Tonicha na TAP

Foto publicada na Edição Especial da Revista "Sábado", artigo "Viajar em primeira classe", por Rita Garcia, "Sábado" n.º 313, de 29 de Abril a 5 de Maio de 2010.

15 de março de 2016

Tonicha e Nicolau Breyner

Nicolau Breyner
(Serpa, 30 de julho 1940 – Lisboa , 14 de março 2016)
 

8 de março de 2016

Parabéns, Tonicha!


7 de fevereiro de 2016

Tonicha: Os Nossos Êxitos


Contracapa do LP "Os Nossos Êxitos", editado pelo Grupo Português de Produtores e Fonogramas e Videogramas (GPPFV), talvez em 1978 (a canção da Tonicha foi apresentada no Festival RTP 1978 - "Um dia, uma flor", de Fernando Calvário e José Sottomayor, orquestração de José Calvário), aquando do espectáculo das comemorações dos 100 Anos das Gravações Sonoras.

Reconhecem todos os cantores?
(Ilustração: autor desconhecido)

11 de dezembro de 2015

Boas Festas


4 de outubro de 2015

Tonicha: ídolo do espectáculo

Luzes, câmara, acção!






















"Imagine-se em 1967. O Benfica de Eusébio é campeão nacional e o Portugal de Eusébio vive dos rendimentos do terceiro lugar no Mundial de Inglaterra. E mais, e mais? Na cultura aparece um nome incontornável: Carlos Cruz. Aos 23 anos de idade, é convidado para o programa "PBX" da Rádio Renascença. É ele uma das figuras nacionais desta preciosa colecção."
Rui Miguel Tovar, Jornal i, 28 de julho de 2015

21 de junho de 2015

TONICHA: 35 ANOS DE "ELA POR ELA"

FOTO: Jorge Jacinto, in "Vozes do Coração 11 - Tonicha", Levoir/Correio da Manhã, 2013
Em 2015, o precioso LP de Tonicha, "Ela por Ela", faz 35 anos. É um dos mais admirados discos da cantora. O disco realça, de forma especial, as qualidades interpretativas superiores de Tonicha. "Ela por Ela", que foi reeditado em cd, em 1996, embora esgotado há muito (apenas disponível no itunes), oferece-nos um leque de canções de qualidade suprema e orquestrações geniais.
Os admiradores de Tonicha percebem bem a genialidade das canções que compõem o LP:  "Canção da Rosalinda", "Canção sem Ti", "Canção da Alegria", "Maria da Conceição" ( a única canção do disco que apela ao imaginário popular do habitual repertório da cantora bejense), "Chamar-te meu Amor", por exemplo.
Os grandes responsáveis de tão perfeito resultado estão na foto: Pedro Osório, Joaquim Pessoa, Tonicha e Carlos Mendes.

20 de abril de 2015

Tonicha: a Menina do Chapéu Encarnado

Tele Semana nº 88, de 27 de setembro de 1974
Na edição de 27 de setembro de 1974 da popular revista "Tele Semana", Tonicha foi a imagem de capa, numa bela fotografia tirada durante o Festival RTP da Canção desse mesmo ano. Recorde-se que então saiu vencedor Paulo de Carvalho, com o hino "E Depois do Adeus". Nas páginas centrais, podemos ler um interessante texto, assinado por Cipriano Ricardo (C.R.), sobre um leque de cantores que tinham acabado de lançar discos, cujos temas os afastavam do repertório do tempo da RTP de Ramiro Valadão e que os deixavam com grandes responsabilidades perante os novos públicos.

Tele Semana nº 88, de 27 de setembro de 1974
São eles: Tonicha, Fernando Tordo, Duarte Mendes, Carlos Mendes, Paulo de Carvalho, Carlos Alberto Moniz e Maria do Amparo. Destaque também para dois letristas muito cantados na época: Ary dos Santos e José Niza. Aqui fica o texto original: 

A Canção entre "uns" e os "outros"

Se mais e melhor não houvesse (e havia, se havia!...) para ilustrar a orientação imprimida pela RTP de antanho, estariam os seus invariáveis programas ditos de variedades. Era ali que se cultivava, como bacilo raro em proveta cara, essa coisa que ficou definida de uma vez para sempre, quando alguém, certeira e correctamente, a baptizou de nacional-cançonetismo.
Quem eram os seus sustentáculos gargarejantes todos o sabem. Não vale a pena enumerá-los.
Estranhos a esse afável calor dos estúdios e das salas administradas pela RTP, suportando mesmo calafrios arrepiantes (e mais frequentemente do que, ainda agora, alguns pensam) havia outros que construíam a canção. Aquela que, fatalmente, tinha de vir, como veio, a rebentar a rua, pois era para a rua, isto é, para a garganta de todos e de cada um que ela tinha sido feita.
Também aqui não vou nomear ninguém. Não é preciso. Todos os seus autores e intérpretes se têm dado a conhecer publicamente através do seu próprio trabalho. Mas, entre estes dois campos, um terceiro existe, menos claro, menos definido. Enfim, na canção como no resto.
Referimo-nos àqueles que não fazendo propriamente parte da mobília da RTP de Ramiro Valadão por lá passaram vezes suficientes para deixarem o público entre o espanto e o desconfiado, quando apareceram com trabalhos que, com certeza, não teriam o aval dos antigos responsáveis pelos serviços de produção das tais invariedades, ou lá o que eram aqueles TV Clubes e quejandos.
Estamos, concretamente, a referir-nos aos discos mais recentes, e ainda anteriores a 25 de Abril, de Fernando Tordo, Carlos Mendes, Tonicha e Maria do Amparo - C. A. Moniz, que apontavam já numa direcção mais correcta que aquela que parecia que viria a ser o seu destino. De comum a todos eles está o facto de terem tido a TV na base da sua popularidade, principalmente através do festival da RTP, do qual foram uns a seguir aos outros desistindo, e, também, excepção feita a Maria do Amparo - C. A. Moniz, o terem servido poemas (e não meras letras) de Ary dos Santos e José Niza.
Quer pela popularidade que alcançaram e também pelo trabalho que fizeram com esses dois autores, este grupo de cançonetistas, que de certo modo se situa entre uns e os outros, tem certas responsabilidades perante o público, o telespectador em particular. Responsabilidades que, como já se disse, se começavam a adivinhar como conscientemente assumidas.
Mas a verdade é que, até à presente data, nada apareceu a confirmar ou a negar o que se adivinhava. E verdade também é que já não estamos no tempo de jogar às adivinhas. Nem na canção.
Uma pausa para meditar? Está bem. Pode ser salutar. Ficar entre uns e outros é que não pode ser.
Tele Semana nº 88, de 27 de setembro de 1974

8 de março de 2015

Parabéns, Tonicha

Por mais um aniversário!
Foto: Jorge Nogueira, 1995, da série feita para o álbum "Canções D'Aquém e D'Além Tejo"

25 de novembro de 2014

"Canta, amigo, canta" - Tonicha

João Carlos Callixto lançou recentemente uma obra imprescindível para se compreender a música portuguesa da década anterior ao 25 de Abril de 1974. O livro, Canta, Amigo, Canta, tem o subtítulo "Nova Canção Portuguesa (1960-1974)" e é uma edição da Editora Âncora.
Tonicha é a única cantora referida no livro cuja popularidade prossegue nas décadas seguintes. Sempre ao lado dos três principais cantautores da época: Carlos Mendes, Fernando Tordo e Paulo de Carvalho, tendo todos eles escrito para Tonicha. Tonicha tem, assim, por direito próprio (atendendo ao número de publicações discográficas neste período de tempo) a presença em 11 (onze) páginas do livro.

As duas imagens que hoje publicamos são, respetivamente, a capa do próprio livro e a primeira página referente a Tonicha, onde é apresentada uma breve biografia da cantora. Ao lado da biografia, há a referência à primeira gravação a solo de Tonicha (pois já tinha gravado antes uma canção de Natal num disco coletivo): "Luar para esta Noite", um EP (4 temas) da Editora RCA, com orquestração de Jorge Costa Pinto.

10 de outubro de 2014

Tonicha na RDP Internacional


Festival no Coração. 
Assim se chama a rubrica diária que João Carlos Callixto apresenta na RDP Internacional, a propósito do 50.º aniversário do Festival RTP da Canção. Ali se propõe recordar as canções concorrentes ao Festival, naquele que foi o seu período "dourado", ou seja, 1960-1980, numa viagem que começa na "Oração", em 1964, por António Calvário, e termina em "Um Grande, Grande Amor", em 1980, por José Cid (a canção que granjeou a Portugal uma das melhores classificações de sempre no Festival da Eurovisão).


Na emissão de 08 de Outubro de 2014, Calixxto propôs-nos (re)descobrir "A rapariga e o poeta" pela voz de Tonicha, um tema do maestro José Calvário (música) e José Niza (letra). Tonicha defendeu o tema no Festival RTP da Canção em 1973. 
Para ouvir e matar saudades no link abaixo, com um agradecimento à RDP e ao João Carlos Callixto:

FESTIVAL NO CORAÇÃO.

4 de outubro de 2014

Rádio de Beja vai homenagear Tonicha

A Rádio de Beja, terra natal de Tonicha, está a preparar uma homenagem à cantora. Brevemente,  e à medida que nos for chegando, daremos aqui mais informações acerca do acontecimento.

Hoje aproveitamos para mostrar  uma das, muitas, capas de revistas em que Tonicha apareceu. Esta é da conhecida revista "Estúdio", n.º 213 de 1971, ano do VIII Festival da Canção, e traz Tonicha com o troféu do 1.º lugar pela canção "Menina", numa bela fotografia de Jorge Jacinto.

Revista "Estúdio", n.º 213, 1971 
Fotografia: Jorge Jacinto

19 de julho de 2014

Tonicha no iTunes

Tonicha já está no iTunes!
É verdade. A cantora, que gravou o primeiro disco em 1965, "Luar para esta noite" um EP em formato vinyl com 4 temas, começa agora a ter a sua discografia disponível para compra no iTunes.













Recorde-se que o primeiro albúm de Tonicha a sair em CD (o formato que veio suceder ao velhinho vinyl) foi "A arte e a música de Tonicha" no ano de 1989 (edição Polygram), uma reedição do LP com mesmo nome editado em 1985, e que pretendia precisamente fazer a passagem da discografia da cantora para o novo formato.

Alguns dos temas contidos em albúns anteriores foram sendo ao longo dos anos passados para CD, a maioria integrando colectâneas de êxitos, mas muitos ficaram infelizmente esquecidos nas ranhuras do vinyl.

A Universal deu agora o passo seguinte e começou a recuperar e disponibilizar a discografia da cantora no iTunes, trazendo-a para o século XXI. É com muita satisfação que anunciamos os álbuns de Tonicha que já estão disponíveis para compra: 

- "Ela por Ela" - LP, 1980; 
- "Foliada Portuguesa" - LP, 1980; 
- "Os Maiores Sucessos" - CD, 1990; 
- "Regresso" - CD, 1993; 
- "Canções d'Aquém e d'Além Tejo" - CD, 1995; 
- "Mulher" - CD, 1997; 
- "Canções para os meus Netos" - CD, 2008.

Esperamos que o esforço não fique por aqui, pois ainda há muitos temas em formato vinyl a que os fãs continuam a não poder escutar.
Louvamos o esforço e pedimos mais!

7 de junho de 2014

Tonicha nos Encontros com Vida


Tonicha continua a integrar o projecto da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, "Encontros com Vida". É uma iniciativa muito louvável que leva os nossos artistas (cantores, actores, músicos, bailarinos) a vários lares e centros de dia da Misericórdia de Lisboa. Esses encontros são sempre motivo de festa e de alegria e a oportunidade para os residentes reverem os seus artistas preferidos. Tonicha fez, no ano passado, uma série de espectáculos "Encontros com Vida", e em 2014 volta a integrar o elenco da iniciativa, desta vez acompanhada pelo maestro Mário Rui Teixeira. 
No dia 2 de Junho esteve no Centro Social Polivalente do Bairro das furnas. 
Na próxima segunda-feira, dia 9 de Junho, às 15 horas, estará no Lar de Santa Clara - Pendão - Queluz. 
Quem quiser matar saudades da nossa cantora, apareça!

31 de maio de 2014

Tonicha: Medalha de Mérito Artístico e Cultural

Foto: Rádio Voz da Planície
No passado dia 29 de Maio, Tonicha recebeu das mãos do Presidente da Câmara Municipal de Beja a Medalha de Mérito Artístico e Cultural:

 "Tonicha nasceu em Beja, cidade onde viveu até aos 16 anos e onde hoje regressou para receber, das mãos do presidente da Câmara Municipal de Beja, a Medalha de Mérito Artístico e Cultural. Uma artista de Beja a quem agrada a ideia de ser vista pela população como uma verdadeira embaixadora da terra que a viu nascer!" 
(Rádio Voz da Planície)

Foto: Rádio Pax

2 de maio de 2014

Tonicha homenageada pela C. M. de Beja


29 de Maio de 2014: homenagem em Beja 
Uma iniciativa da Câmara Municipal  

A Assembleia Municipal de Beja, em reunião ordinária no passado dia 28 de Abril, ratificou a deliberação da Câmara Municipal em relação à atribuição de Medalhas de Mérito para 2014. 
Da lista, aprovada por unanimidade e escrutínio secreto, consta a nossa cantora alentejana, Tonicha, a quem será entregue a Medalha de Mérito Artístico e Cultural. 
A entrega da medalha será efectuada em sessão solene no feriado municipal, dia 29 de Maio.

Foto: Santa Casa da Misericórdia de Lisboa
Foto: SCML
Foto: SCML

12 de abril de 2014

Festival RTP 1972















Tonicha, vencedora em 1971, entrega o prémio a Carlos Mendes, vencedor em 1972.
Além dos dois cantores, aparecem na foto os autores da canção vencedora, José Niza e José Calvário, autores que Tonicha também muito cantou.

8 de março de 2014

Parabéns, Tonicha!

FOTO: finais dos anos 70 (gentilmente cedida pela cantora)












No dia do aniversário de Tonicha, e Dia Internacional da Mulher, damos também os parabéns a todas as "mulheres" que Tonicha cantou:

CHULA TIRANA ROLINHA CIRANDA CARRASQUINHA EM LISBOA CANTO DA PRIMAVERA O CACAU DA RIBEIRA VIRA DA MADRUGADA JÁ CHEGOU A LIBERDADE AS POMBINHAS DA CATRINA ROSINHA MINHA MÃE, MINHA MÃE ROSEIRA BRAVA MENINA FLORENTINA MULHER E FORÇA MENINA DO ALTO DA SERRA SERRANA POVO DOBADOIRA MARIA RITA, CARA BONITA COM QUE LETRA SE ESCREVE MARIA ISTO AQUI É O DA JOANA A SAIA DA CAROLINA MARIANA QUE MULHER É ESTA TERRA MÃE AVÉ MARIA CANÇÃO DA ROSALINDA MARIA DA CONCEIÇÃO CANÇÃO DA ALEGRIA CANÇÃO DA CORAGEM MADALENA NOSSA SENHORA DA PÓVOA SENHORA DO ALMORTÃO MARIA FAIA BOCA DE AMORA A TUA CANÇÃO AVOZINHA ALMA LLANERA ROSA DE BARRO GLÓRIA GLÓRIA ALELUIA MANHÃ CLARA A RAPARIGA E O POETA FARRAPEIRINHA FARRAPEIRA ROSAS DO MEU JARDIM ROSINHA A AMENDOEIRA SIMPLESMENTE MARIA VAREIRA DO MAR CHULA DE VIANA CORADINHAS ROSA ROSAE BANDEIRA DA VITÓRIA ESPERA FUI TER COM A MADRUGADA LISBOA PERTO E LONGE RAGAZZA DELLA CAMPAGNA LIVRE BERGÈRE NIÑA CANÇÃO DA AMIZADE UM DIA UMA FLOR ALGUÉM FUI QUEM SOU

19 de janeiro de 2014

Ary dos Santos: 30 anos depois

30 anos após a sua morte, continuamos a cantar José Carlos Ary dos Santos. Na voz da sua "Menina", Tonicha, ficam para a posteridade e disponíveis para ouvir 47 canções da sua autoria.
A imagem que hoje publicamos mostra Ary dos Santos e Tonicha, em casa de Nuno Gomes dos Santos, durante o ensaio das 3 canções da autoria de Ary dos Santos para o Festival RTP 1971.

Revista Eva nº 1171, Fevereiro de 1971

23 de dezembro de 2013

Boas Festas!


5 de novembro de 2013

Tonicha: capa de revista























Conhecida pela maioria dos portugueses, Tonicha é uma cantora popular, que se evidenciou, após inúmeras dificuldades, no Festival da Figueira da Foz, muitos anos atrás. A crítica e a então Emissora Nacional interessaram-se pela menina rebelde e firme nas suas aspirações artísticas que lutara anos a fio pela divulgação do nome: TONICHA.
Casada com João Viegas - locutor e produtor durante 15 anos da Rádio Ribatejo (a emissora independente de Santarém), autor e apresentador de programas da RTP, especialista em folclore, director de várias editoras discográficas - vivem ambos numa bela vivenda em Cascais.


in Revista Maria, 19 a 25 de Maio de 1982.
Material gentilmente cedido pela revista.


28 de agosto de 2013

João Maria Viegas

Salvaterra de Magos, 1930 - Lisboa, 2013

Foto gentilmente cedida por Tonicha. 





















João Maria Viegas, um ribatejano apaixonado pela música tradicional do nosso país, conheceu Tonicha ainda nos anos sessenta, quando, por intermédio de um outro cantor, colega de Tonicha, a convidou para ir a Santarém, ao seu programa “Onda Matinal” da Rádio Ribatejo. A partir daí já não se separaram. Tonicha gravava para a etiqueta RCA e João Viegas foi para lá trabalhar como A. R. da editora, responsável pelos repertórios dos artistas portugueses. Foi ele que incentivou Tonicha a gravar a música tradicional portuguesa. Não foi à primeira tentativa que Tonicha aceitou. Mas assim que a cantora se dispôs a esse repertório, João Viegas, que em breve seria seu companheiro de uma vida inteira, proporcionou-lhe um dos seus primeiros grandes êxitos, recolhido no cancioneiro de Alves Redol: “Vira dos Malmequeres”, que já faz parte do imaginário popular português. A este EP (disco de 4 temas), de 1969, seguiram-se mais alguns êxitos retumbantes: “Maria Rita”, “Primavera das Lindas Flores”, “Com que Letra se Escreve Maria”, “Resineiro” ou “Senhora do Almortão” (estes recomendados por José Afonso).
Já nos finais dos anos 70, João Viegas recolhe, para Tonicha, alguns temas populares que ouvira cantar a alguns dos melhores ranchos folclóricos de Portugal. Adapta ou recria as letras e mantém as músicas tradicionais. Nascem assim alguns dos temas mais populares de Tonicha: “Tu és o Zé que fumas”, “Pestotira”, “Zumba na caneca”, “O Chico Pinguinhas”, “Sericotalho, bacalhau, azeite e alho”, entres muitos outros. Tonicha e João Viegas abrem, nos anos oitenta, no Ribatejo, o restaurante “Páteo d’Almeirim” e, durante alguns anos, Tonicha apenas canta aí, para os clientes do restaurante, muitos dos quais, grandes grupos que vinham de todo o país, mas principalmente do norte, região que Tonicha também muito cantou.
Em 1993, Tonicha volta à ribalta e lança o seu primeiro cd de originais, “Regresso”, que esteve nos tops nacionais, vendendo milhares de cópias. Para este disco, João Viegas escreveu algumas letras que deu a musicar a grandes compositores: Nuno Nazareth Fernandes, Rao Kyao ou Luís Pedro Fonseca. Os temas que propomos ouvir e que pretendem prestar homenagem a este homem que acompanhou e dirigiu a carreira de Tonicha quase desde o início pertencem a esse cd -"Regresso": “O que é que eu faço?”, "Minha Terra de Agosto Desejado", "Chula", "Uma Rosa por Amor" e "Sou como a cigarra".
João Maria Viegas: Salvaterra de Magos, 1930 – Lisboa, 2013.
Paz à sua alma!
Cantemo-lo na voz da sua eterna “Menina”, Tonicha.

4 de julho de 2013

Tonicha em Toronto

FOTO: Milénio Stadium
Como tão bem noticiou a edição canadiana do diário Correio da Manhã, "ouviu-se Portugal no dia do Canadá" e Tonicha foi uma das suas vozes.
De facto, no passado dia 1 de Julho de 2013 Tonicha esteve no Canadá para um concerto.
Desta vez foi convidada a atuar na cidade de Toronto, no Festival Português inserido no 47.º Piquenique Internacional Scotiabank CHIN Radio, que decorreu perante um mar de gente na Exhibition Place. Tratou-se de uma iniciativa desta rádio,  fundada em 1966, e que se assume como a maior estação multicultural do mundo. A estação emite regularmente música portuguesa para alegria da grande comunidade portuguesa radicada neste país da América do Norte. O cantor Marco Paulo foi outro dos convidados que este ano representou Portugal neste evento.
Tonicha não escondeu a satisfação por estar de volta ao Canadá, àquele que foi um dos países que durante muitos anos fizeram parte das suas digressões de 3 meses, e onde sempre se sentiu muito acarinhada e bem recebida. Desta vez, também não foi diferente:

FOTO: Sol Português
(...) Já no auge do espetáculo, a tão aguardada Tonicha entrou em palco e com o seu jeito único cativou a assistência com um repertório variado que trouxe ao Canadá os sons de várias regiões de Portugal – do Alentejo aos Açores, e do Minho à Nazaré. O público juntou-se à cantora e foi cantarolando com ela muitas das letras de temas populares como ''O mar enrola na areia'' e ''Vira dos Malmequeres''. A artista não deixou de cantar a música que a levou ao Festival da Eurovisão em 1971: ''Menina do Alto da Serra", e também não se livrou da célebre canção "Zumba na Caneca", que tanto lhe foi pedida ao longo do espetáculo, despedindo-se sob fortíssimos aplausos (...), pôde ler-se no jornal canadiano "Sol Português", na edição de 05 de Julho.
Também o semanário canadiano "Milénio Stadium" na sua edição de 05 a 12 de Julho de 2013 recordou a forma como (...) Tonicha cantou e dançou como uma menina jovem, fazendo muita gente chorar quando interpretou "A Menina". Gostámos do que vimos e do que ouvimos . Tonicha foi ela própria. Maravilha.

FOTO: António César - Chin Radio













Os que marcaram presença na Exhibition Place puderam recordar vários temas da carreira de Tonicha, com que ela e os músicos que brilhantemente a acompanharam -  Rui da Silva (baixo), Jaume Pradas (bateria) e maestro Mário Rui Teixeira (teclados e piano) - os presenteou naquela tarde nublada, mas quente. Aqui fica o alinhamento:

1- Menina
2- Vira da rapioca
3- Fadinho do pobre
4- Pezinho do Pico
5- Minha terra de Agosto desejado
6- Cantares alentejanos
7- Vareira do mar
8- Maria Rita
9- Vira do vinho
10- O mar enrola na areia
11- Não vás ao mar Tonho
12- Zumba na caneca
13- Zé que fumas
14- Resineiro
15- Vira dos malmequeres

FOTO: António César - Chin Radio











FOTO: António César - Chin Radio





Agradecimento muito especial:
Dario Amaral
(vice-presidente de programação e vendas da Chin Radio)

21 de junho de 2013

Tonicha canta em Toronto a 1 de Julho


16 de junho de 2013

Tonicha: A cantora do povo

FOTO: Jorge Jacinto


















Tonicha: Vozes do coração (vol. 11).
Voltou a estar disponível uma edição discográfica de alguns temas da carreira de Tonicha, numa bela iniciativa conjunta entre o "Correio da Manhã" e a editora "Levoir". O livro-cd, um excelente objecto que no nosso entender se tornará de culto, acompanhou (por mais 5,95€) o jornal no passado sábado, dia 08 de junho. Não foi fácil encontrá-lo e sabemos por muitos dos seguidores do nosso blogue que o mesmo problema foi sentido em todo o país. Com a ajuda de amigos, conseguimos comprar o nosso exemplar que agora apresentamos.
 
O livro surpreendeu-nos pela positiva. O texto, da autoria do conceituado crítico musical Gonçalo Frota, é, realmente, uma boa prosa, que revela um bom conhecimento (ou estudo) da obra de Tonicha. Apesar de algumas imprecisões (títulos de discos, número de canções gravadas, ou datas em que se iniciam parcerias musicais, por exemplo) a edição tem muita qualidade, facto que acaba por desculpar essas imprecisões.

As fotografias de Jorge Jacinto - fotógrafo citado aqui inúmeras vezes - são muito boas e quase todas desconhecidas do grande público. Óptima seleção. Parabéns. A fotografia da capa do livro-cd (apresentada no post anterior) foi capa da revista "Maria" quando Tonicha gravou o Regresso, em 1993. A fotografia de hoje é dessa mesma série.
Não resistimos a deixar aqui os dois primeiros parágrafos do excelente texto de Gonçalo Frota:

À música popular pede-se, precisamente, que seja popular - que chegue a muitos, que chegue a todos. Nesse aspecto poucas vozes em Portugal terão cumprido de forma tão capaz o desígnio natural da sua música. Tonicha, que interpretou até hoje mais de 600 canções [de facto, são 300 - sem contar com as regravações dos mesmo temas - fizemos a contagem há pouco tempo, a pedido de João Viegas, o marido de Tonicha] e gravou mais de 150 discos, tem dedicado toda a sua carreira a celebrar a música popular portuguesa, desenterrando com a ajuda do seu marido, o etnólogo João Viegas, um cancioneiro tradicional que muitos parecem ter esquecido. Por isso mesmo, foi chamada para o teatro por Tiago Torres da Silva para o papel de uma "guardiã da memória colectiva".
Presença habitual em festas, arraiais e romarias, conhecedora profunda da raiz musical que grassa pelo país, Tonicha aliou-se a grandes nomes da cultura portuguesa - Ary dos Santos, José Cid ou Jorge Palma - na construção de uma obra que, erradamente, esbarra no seu momento de maior popularidade, "Zumba na Caneca", e teima em esquecer um percurso riquíssimo e de amor e dedicação profundos ao povo e às suas canções mais genuínas. Afastada dos palcos e das cantorias nos últimos anos, é sempre de esperar de Tonicha um regresso ao convívio com o seu público fiel. José Cid, parceiro artístico de há muito, diz já lhe ter confiado mais uma pequena série de originais. O disco há-de chegar quando Tonicha assim o quiser. Para continuar a enriquecer o tesouro musical português.

23 de maio de 2013

Tonicha com o "Correio da Manhã"



Dia 8 de junho - com o "Correio da Manhã"
cd - Coleção "Vozes do Coração"

É já no próximo sábado, dia 08 de junho, que o jornal "Correio da Manhã" lança o livro-cd com alguns dos temas da carreira de Tonicha, o volume 11 da colecção "Vozes do coração". Oportunidade para revisitar alguns dos temas da cantora que ficaram na memória dos portugueses:

1- Menina do Alto da Serra
       (Ary dos Santos/Nuno Nazareth Fernandes)
2- Batatinhas
       (Popular/Ary dos Santos)
3- Glória, Glória, Aleluia
       (José Cid)
4- Com um Cravo na Boca
       (Ary dos Santos/Jorge Palma)
5- Terras de Garcia Lorca
     (Ary dos Santos/Nuno Nazareth Fernandes)
6- Milho Verde
     (Popular/Arranjos de Jorge Palma)
7- S. João
     (Popular/Arranjos de Jorge Palma)
8- Malhão de Cinfães
     (Popular/Arranjos de Jorge Palma)
9- Simplesmente Maria
     (Guirrojo/Algueró/Ary dos Santos)
10- A Moda da Saia Curta
      (Popular/Ary dos Santos/Arranjos de Jorge Palma)
11- Senhor Padre Valentim
      (Popular/Arranjos de António Chaínho)
12- Poeta desde Lejos
      (Patxi Andion/Ary dos Santos)
13- Chula de Viana
      (Popular/Arranjos de António Chaínho)

18 de abril de 2013

Tonicha: Estrela d'ontem e d'hoje

Conhecida por todos como a eterna menina da música portuguesa, a carreira de Tonicha está em foco no novo programa da RDP Internacional «Estrelas d´ontem e d´hoje». Conduzido por Elisa Portugal, em cada emissão é traçado o perfil de um artista da música portuguesa.
Uma bela iniciativa do canal público de rádio! Uma oportunidade para rever alguns dos maiores sucessos da cantora, num percurso cronológico pela sua carreira musical.
Artistas do passado e do presente que têm o seu nome para sempre ligado ao panorama cultural português. São artistas de sempre: «Estrelas d´ontem e d´hoje» (in site RTP).

Para ouvir a emissão sobre Tonicha, clique no nome do programa aqui a seguir: «Estrelas d´ontem e d´hoje».

8 de março de 2013

Parabéns, Tonicha!


2 de março de 2013

Tonicha: LP "Folclore" - 40 anos



Face A

Batatinhas
(Popular - Ribatejo / José Carlos Ary dos Santos)
Vareira do Mar
(Popular - Minho)
A Amendoeira
(Popular - Beira Litoral)
Senhor Padre Valentim
(Popular - Ribatejo / Arranjos de José Carlos Ary dos Santos)
Os Bravos
(Popular - Açores)
Vira do Vinho
(Popular - Ribatejo / Arranjos de José Carlos Ary dos Santos)

Face B

Labuta, Meu Bem, Labuta
(Popular - Ribatejo / José Carlos Ary dos Santos)
Farrapeirinha
(Popular - Beira Litoral)
Dança Daí
(Popular - Douro Litoral)
Malhão de Águeda
(Popular - Beira Litoral)
Passarinho Trigueiro
(Popular - Ribatejo)
Chula de Viana
(Popular - Minho)



















Arranjos e direção musical:
António Chaínho
Grupo de guitarras de António Chaínho:
Raul Nery, José Maria Nóbrega, Francisco Peres "Paquito", Raúl Silva
Fotografia: Álvaro João
Registo de som: Moreno Pinto
ORFEU - 1973

6 de fevereiro de 2013

Estremoz homenageia Tonicha

Retrospetiva da carreira de Tonicha
Rádio Despertar de Estremoz, com Luís Jordão

Sábado, dia 9 de fevereiro
A partir das 16 h
Pode ouvir a emissão aqui:
http://www.radiodespertar.net/

Lá nos encontraremos!